A Red Hat, empresa que está no mercado há 25 anos, vai ser Gold Sponsor do IT PEERS Summit, onde apresentará soluções que ajudam os negócios a crescer 

A Red Hat irá estar presente no IT PEERS Summit no dia 26 de setembro. Assume-se como uma empresa que revoluciona os sistemas operacionais com o Red Hat® Enterprise Linux®. Oferece ainda um amplo portfólio, incluindo infraestrutura de cloud híbrida, middleware, integração ágil, desenvolvimento de aplicações nativas em cloud e soluções de automação e gerenciamento. Com as tecnologias Red Hat, as empresas adaptam-se rapidamente às mudanças à medida que os negócios se tornam mais digitais e interconectados.

O tema da primeira edição do IT PEERS Summit é a Inteligência Artificial na gestão de TI.  A IT PEERS propõe o debate sobre o que as ferramentas de inteligência artificial, machine learning, RPA, entre outras, podem fazer pela gestão de TI.

Ainda existem lugares disponíveis para poder participar nesta manhã de partilha! Inscreva-se agora! 

O Dr. Paulo Novais, presidente da APPIA, vai estar presente no IT PEERS Summit e vai explicar-nos porque é que a inteligência artificial será tão importante no futuro

Paulo Novais é Professor do Departamento de Informática e investigador no centro ALGORITMI, na Escola de Engenharia da Universidade do Minho. A sua investigação centra-se na área científica da Inteligência Artificial e dos Sistemas Inteligentes. Mais recentemente, tem-se focado em conceitos ligados a Decisão, Inteligência Ambiente, Ambientes de Vida Assistida e Análise Comportamental.

A par disso, é ainda o presidente da Associação Portuguesa para a Inteligência Artificial, que foi fundada em 1984 e é uma das associações científicas mais ativas e antigas do país. Com 300 investigadores seniores, a sua missão “é promover a disseminação da inteligência artificial como área científica".

A inteligência artificial já faz parte de muitas atividades da nossa rotina, mas apesar de ser uma constante no nosso quotidiano, ainda não temos verdadeira consciência do papel preponderante que terá nas nossas vidas. O Dr. Paulo Novais irá brindar-nos com o seu conhecimento numa palestra que se prevê surpreendente e esclarecedora.

As inscrições decorrem a ritmo acelerado e a participação é gratuita, mas sujeita a confirmação. De que está à espera para se inscrever? 

 

O RGPD entrou em vigor em maio de 2018, trazendo com ele multas que podem ir até 20 000 000 EUR ou, no caso de uma empresa, até 4 % do seu volume de negócios anual a nível mundial correspondente ao exercício financeiro anterior, consoante o montante que for mais elevado. Com valores tão elevados, nenhuma empresa deveria arriscar, mas a verdade é que atualmente nem todas as empresas investem de forma séria no setor da segurança.

Antes e após a entrada em vigor da legislação, todo o mercado reagiu, procurando e implementando soluções que garantem o cumprimento das novas obrigações legais. No entanto, a partir de junho de 2018 assistimos a uma diminuição da preocupação com o RGPD, sobretudo por parte das pequenas e médias empresas. As grandes empresas e os organismos governamentais continuam a investir na área de segurança, verificando-se uma maior preocupação do que antes da legislação existir nos presentes moldes.

As multas do RGPD na Europa já se fizeram sentir. Vejamos alguns exemplos: a Uber falhou na proteção de dados e pagou mais de 1 milhão de euros em multas no Reino Unido e na Holanda. A Google foi multada em França, sendo penalizada em 50 milhões de euros. Até ao momento, esta é a sanção mais alta aplicado ao abrigo do RGPD. Em Portugal, o Hospital do Barreiro foi multado em 400 mil euros por permitir acessos indevidos a processos clínicos.

Os números na Europa são bastante esclarecedores quanto à importância desta nova legislação. Até ao momento, já tivemos:

- 89 271 notificações de violação de dados
- 144 376 consultas e reclamações para autoridades de processamento de dados.

 

A IT PEERS falou sobre RPA na edição de 2019 do Fórum bwd, desmistificando ideias erradas que as pessoas foram criando ao longo do tempo

Os filmes de ficção científica sobre robots depositaram na nossa mente uma ideia completamente errada sobre eles: acreditamos que um dia serão capazes de pensar de forma autónoma, tomando decisões com vista ao extermínio da raça humana. Com o passar dos anos, começamos a conviver com robots no nosso dia-a-dia, nomeadamente através de aspiradores que, previamente programados, são capazes de aspirar as nossas casas sozinhos. A evolução deu lugar a um novo conceito: RPA.

Robotic Process Automation está longe de ser aquilo que as pessoas pensam que é. Na verdade, RPA é composto por código que simula a presença humana em frente a um computador, fazendo uso das mesmas ferramentas disponíveis. Para um software RPA operar, ele deve aprender um fluxo de trabalho com etapas previamente ensinadas por um humano.

Acompanhamento contínuo das operações da organização, execução permanente 24 horas sobre 24 horas, dados com maior qualidade e melhor serviço ao cliente são algumas das vantagens que a adoção do RPA traz para as empresas.

Com a utilização de RPA, os humanos passam a poder ser utilizados onde é necessário o pensamento humano, com todas as suas vertentes, como por exemplo a criatividade.

 

O “Seminário Lei Geral de Proteção de Dados – LGPD – Desafios à Implementação” visa promover o debate, a troca experiências e apoiar as empresas a se adequarem à nova lei brasileira

A IT PEERS, no seguimento da sua estratégia de internacionalização, vai marcar presença no dia 6 de junho num evento relacionado com a nova legislação de proteção de dados brasileira. O evento organizado pela Markway, o mais recente parceiro da IT PEERS nesta geografia, tem como objetivo ajudar as empresas a estarem preparadas para receberem a nova lei.

À semelhança do que já acontece na Europa, uma falha na segurança dos dados pode custar às empresas brasileiras milhares de reais, pois as multas avultadas estão também presentes nesta normativa legal. Assim sendo, é fundamental que as empresas estejam informadas sobre todos os requisitos da legislação.

A IT PEERS, representada pelo seu CEO Jorge Duarte, vai abordar as questões principais relacionadas com o RGPD e com o estado em que a lei se encontra na Europa. Vai ainda apresentar soluções para que as empresas estejam preparadas para receber a lei em conformidade. O Datapeers, solução de mascaramento de dados desenvolvida pela IT PEERS, vai estar em destaque neste evento.

A IT PEERS celebra 15 anos de existência em 2019 e vai celebrá-los com a partilha de conhecimento e troca de experiências relacionadas com a tecnologia.

No dia 26 de setembro de 2019 a IT PEERS reunirá profissionais de diversas áreas e decision makers para uma manhã exclusivamente dedicada à tecnologia e ao modo como esta influencia os negócios. Esta será a primeira edição do Fórum IT PEERS e pretende-se que seja um evento marcado pela partilha de conhecimento.

Brevemente teremos mais novidades, tais como local do Fórum, convidados e programa.

Para já, o que tem a fazer é simples: reserve o dia 26 de setembro!

A Markway é uma empresa de tecnologias de informação que assenta a sua atuação no setor da segurança e de Data Science. É reconhecida atualmente como uma das principais parceiras Oracle no Estado do Rio de Janeiro, oferecendo o mais elevado nível de soluções e reforça agora a sua oferta de segurança através da representação do Datapeers.

Devido à grande importância dos sistemas atualmente, a segurança dos dados é imprescindível para o sucesso empresarial. A nova lei de proteção de dados brasileira contribuiu também para esta parceria, pois a Markway sentiu a necessidade de ter no seu portfolio um produto que seja útil para as empresas, nesta fase em que a privacidade dos dados é tão importante.

"A Markway e a IT PEERS estão integradas e capacitadas para atender às empresas brasileiras a cumprir os desafios impostos pela LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados). Esta é uma demanda de nossos clientes que buscam, na experiência da Markway e nas tecnologias que representamos, fortalecer a governança e os padrões de segurança de suas informações, em especial aquelas relativas à proteção e a privacidade de seus dados. Nossa expectativa é alavancar a performance de nossos clientes, reduzindo custos e ampliando a produtividade da gestão dos recursos informacionais das empresas, principalmente no contexto “cloud” de seus negócios, que requerem investimentos crescentes para maior disponibilidade e segurança de suas informações", refere Jackson Schemes, CEO da Markway.

A IT PEERS celebra 15 anos de existência em 2019 e vai celebrá-los com a partilha de conhecimento e troca de experiências relacionadas com a tecnologia.

No dia 26 de setembro de 2019 a IT PEERS reunirá profissionais de diversas áreas e decision makers para uma manhã exclusivamente dedicada à tecnologia e ao modo como esta influencia os negócios. Esta será a primeira edição do Fórum IT PEERS e pretende-se que seja um evento marcado pela partilha de conhecimento.

Brevemente teremos mais novidades, tais como local do Fórum, convidados e programa.

Para já, o que tem a fazer é simples: reserve o dia 26 de setembro!

A tecnologia RPA tem sido muito bem recebida no mercado e é fácil perceber porquê: as pessoas odeiam as tarefas repetitivas que os sistemas passam a fazer, libertando-as da crescente pressão do trabalho.

RPA - Robotic Process Automation - é o nome dado às soluções de automatização que utilizam softwares (robots) com o objetivo de reduzir (ou eliminar completamente) as tarefas repetitivas e com maior probabilidade de erros, libertando os colaboradores para outras tarefas que exijam uma tomada de decisão. A tecnologia RPA é capaz de imitar a atuação do ser humano através da execução de atividades num computador.

Nos projetos que a IT PEERS tem em mãos neste momento, em parceria com a Kofax, o foco principal é otimizar os processos das empresas, reduzindo a intervenção humana em tarefas onde a sua presença não é imprescindível. A IT PEERS encontra-se a trabalhar no sentido de tornar os sistemas autónomos apenas com a intervenção de robots previamente configurados. Estes robots serão capazes de executar as suas tarefas de um modo muito mais rápido que os humanos.

Uma vantagem imediatamente reconhecida pelos utilizadores de soluções RPA é o aumento significativo da produtividade da organização, dado que os colaboradores são libertados de tarefas altamente consumidoras de tempo para passarem a realizar tarefas mais estimulantes.

Podemos ainda acrescentar outras vantagens das soluções RPA:
• a elevada escalabilidade das operações sem necessidade de aumento da força de trabalho;
• a eliminação de atividades relacionadas com recolha de dados manual e erro humano;
• o acompanhamento da velocidade do negócio, devido aos ganhos de celeridade que a solução permite obter.

A versão Datapeers 3.3. apresenta duas novidades principais: um novo tipo de mascaramento de dados e uma funcionalidade que permite uma utilização mais intuitiva do produto.

O novo tipo de mascaramento, designado por "constant value", transforma todos os valores de uma coluna (sejam numéricos ou alfabéticos) numa constante definida pelo utilizador (que pode ser um número, uma palavra ou simplesmente um valor nulo). A principal vantagem que este novo mascaramento traz é uma maior rapidez no processo, visto que o produto, ao contrário do que acontecia antes, não necessita de procurar informações em dicionários nem necessita de ler a informação de origem, pois para mascarar a informação apenas troca todos os campos por um único valor previamente definido. Além desta vantagem, este tipo de mascaramento é bastante mais fácil de definir, o que simplifica a tarefa do utilizador.

A funcionalidade "check conditions" permite um uso mais intuitivo do produto. Com esta nova atualização, o Datapeers informa o utilizador sobre os potenciais problemas críticos que podem comprometer a extração ou o upload. Antes mesmo de iniciar alguma ação, o produto faz verificações de ambiente para perceber se estão reunidas as condições necessárias para que o processo se conclua com sucesso. Esta etapa é muito importante, pois reduz-se o tempo de implementação, uma vez que não existem paragens inesperadas que interrompem o processo.

O mercado brasileiro enfrenta atualmente sérios desafios no que à privacidade dos dados diz respeito, devido à LGPD - lei geral de proteção de dados - sancionada em 2018. Cada vez mais, as empresas brasileiras dos diversos setores, nomeadamente no setor de seguros (área com a qual a Delphos maioritariamente trabalha), vão sentir a necessidade de uma ferramenta que permita o mascaramento de dados. A Delphos tem a decorrer diversos processos de atualização de ambientes de teste, homologação e pré-produção que são copiados no ambiente de produção de vários sistemas através de scripts. Com o Datapeers, haverá ganhos de produtividade nestes processos e os dados utilizados nas diferentes fases de teste poderão ser mascarados, garantindo assim a proteção da informação tratada.

"Após algum tempo usando o Datapeers em provas de conceito e demonstrações, entendemos que precisávamos ter o licenciamento da ferramenta para obtermos o ganho de produtividade com nossos sistemas internos no que tange a criação de ambientes de teste, homologação e pré-produção. Estamos apostando que o retorno do investimento ocorrerá ainda em 2019", refere Carlos Trindade, Diretor da Delphos.

"Para a IT PEERS este é um passo muito importante para solidificar a presença do Datapeers no mercado brasileiro e acreditamos que em 2019 as oportunidades nesta geografia serão bastante promissoras, visto que as empresas precisarão de se proteger à luz da nova lei", refere Marcelo Carvalho, gestor comercial do Brasil da IT PEERS.

 

A conhecida Sociedade de Advogados do Porto está neste momento a implementar uma solução de gestão documental e de arquivo digital. A Sociedade de Advogados Aguiar-Branco & Associados pretende melhorar a gestão da sua informação através de soluções de gestão documental e arquivo digital e conta com o know-how da equipa da IT PEERS em parceria com a bwd.

A IT PEERS, após uma análise pormenorizada de toda a organização da empresa e após um estudo das soluções disponíveis no mercado, escolheu o MS Sharepoint para este projeto devido às necessidades específicas do mesmo. Este sistema de gestão documental permite partilhar e gerir conteúdos, informações e aplicações, facilitando o trabalho em equipa e minimizando o tempo gasto a procurar informações.

Os objetivos gerais deste projeto são aumentar a segurança do acesso à informação e aumentar a produtividade dos colaboradores, uma vez que será mais rápido e intuitivo acederem aos dados de que precisam para executar o seu trabalho. A equipa da IT PEERS é especialista na implementação de soluções que visam elevar a performance dos negócios facilitando o seu trabalho diário.

 

Jorge Duarte, CEO da IT PEERS, apresentou os principais requisitos que uma empresa precisa de ter para garantir que os seus sistemas de informação se encontram seguros. Através da apresentação de casos reais de tentativa de extorsão de dados e de roubo de informação confidencial, partilharam-se experiências e apresentaram-se soluções numa manhã que ficou marcada pela troca de conhecimento entre empresas especialistas em segurança.

Numa época em que a informação das organizações se encontra tão vulnerável s, a IT PEERS transmitiu a mensagem de que não basta apenas proteger a informação: é fundamental estar preparado para agir após um eventual ataque ou desastre informático. Assim, apresentou como solução uma espécie de "máquina do tempo", em que é possível recuar até ao instante imediatamente anterior à ocorrência da situação que causou a perda dos dados: o RAAS.

O RAAS é uma solução de disaster recovery desenvolvida pela IT PEERS que permite ativar servidores virtuais remotos para uma rápida recuperação, possibilitando que os dados perdidos se recuperem em questão de segundos.

 

Adriano Ribeiro conta com uma vasta experiência na área de Gestão e Finanças. Após a conclusão da licenciatura em Economia pela Universidade do Porto, iniciou a sua carreira em dezembro de 1982. Desempenhou funções de CFO na Sonae Distribuição (Portugal e Brasil) entre 1993 e 2009. Nesse ano de 2009 passou para o grupo MDS (mediadora de seguros do grupo Sonae) onde esteve como CFO até 2011. De 2012 até 2016 desempenhou funções de CEO na I2S e em 2016 abraçou um novo projeto, também como CEO, na bwd – digital transformation, empresa que tem vindo a afirmar-se no panorama nacional de TI como líder em soluções de digitalização, gestão documental e automatização de processos.

"A IT PEERS é um projeto aliciante e sem dúvida que estou muito motivado para contribuir para o seu crescimento. É uma honra para mim fazer parte deste projeto que tem dado que falar não só em Portugal, mas também além fronteiras", refere Adriano Ribeiro.

“Receber uma pessoa como o Adriano na nossa equipa é uma enorme mais-valia, pela experiência, dinamismo e grande capacidade de trabalho que sempre demonstrou ao longo da sua carreira. Para além de um bom amigo, é uma pessoa de forte caráter e grande dedicação, que certamente vai deixar a sua marca no futuro da IT PEERS”, refere Jorge Duarte, CEO.